Meus princípios e valores

Em se tratando de política, como em muitas outras áreas da vida, princípios e valores são mais importantes que projetos e propostas, uma vez que estes são transitórios e circunstanciais enquanto aqueles são fixos e permanentes.

Quando mudam as circunstâncias, mudam também os projetos e propostas.

Por sua vez os princípios e valores estabelecem os limites, a direção e o sentido que orientam a criação de projetos e a concepção de propostas. É, então, essencial entendermos que, em uma eleição, devemos escolher pessoas que defendam os valores que esperamos para nossa sociedade e comunidade em que vivemos.

Compreendido este fato, estes são os princípios e valores que norteiam minhas posições, propostas e projetos, no que se refere à atuação parlamentar:

PRINCÍPIOS

  1. O trabalho é a única fonte natural de riqueza e liberdade
    A única forma natural de gerar riqueza e renda provém da capacitação, qualificação e esforço pessoal, executando serviços ou produzindo bens de interesse público que no exercício do livre mercado e da troca espontânea circulam riquezas e geram renda pessoal e familiar.
  2. Dependência e liberdade não coexistem
    Pessoas e famílias autossuficientes podem escolher como, onde e com quem trabalham e vivem, enquanto aqueles que dependem de outros devem viver segundo as regras ditadas por estes. Qualquer ação, projeto, proposta, lei ou programa que gere qualquer nível de dependência, retira proporcional e crescentemente as liberdades daqueles que se servem ou são atingidos por eles.
  3. A ignorância é o primeiro limite da liberdade
    Não somos livres para fazer o que não sabemos fazer, nem para escolher o que não conhecemos. A educação e o estudo são promotores da liberdade e autossuficiência.
  4. A integridade é o fundamento da vida social
    A integridade gera confiança e a confiança é a própria essência da vida em sociedade. A falta de confiança gera medo e ressentimento que levam ao caos e à convulsão social.
  5. A família é a primeira linha de defesa do indivíduo
    Na educação, aquisição de conhecimento, emprego, trabalho, sustento e auxílio, a família imediata e estendida é a primeira linha de defesa. Segue-se a ela, amigos, conhecidos, entidades assistenciais como Igrejas e outros e, por último, se ainda for necessário o governo pode participar do auxílio. O governo deve ser sempre o último.
  6. O indivíduo é um agente e não um objeto que recebe a ação
    O trabalho e a aquisição de conhecimento é uma responsabilidade primeiramente do indivíduo e de sua família. O indivíduo deve fazer muito de sua própria e livre escolha e colher os frutos deste esforço. O governo não tem o direito de alterar esta dinâmica, no risco de criar indivíduos e famílias dependentes e uma nação fraca.
  7. A força de uma nação repousa na força das famílias e dos indivíduos que a formam.
    As famílias são os elos que formam a corrente da sociedade e da nação, uma corrente não é mais forte que os elos que a formam. Enfraquecer a família significa enfraquecer a sociedade e a nação. Fortalecer cada indivíduo, permitindo que seja livre e exerça sua liberdade e seu arbítrio e colha os frutos de seu trabalho e esforço, fortalece as famílias e consequentemente toda a sociedade.

VALORES

  1. Liberdade com responsabilidade
    O exercício das liberdades individuais, embora seja um direito inalienável é limitado pelos direitos dos outros e pelo cumprimento dos deveres. Cada indivíduo responde pelo uso de seu arbítrio.
  2. O indivíduo como único gerador de riquezas
    Toda a riqueza e renda nas mão do governo é proveniente dos impostos pagos pelos indivíduos, nenhum dos serviços públicos é gratuito. Quanto mais dinheiro estiver nos cofres do governo, menos estará nas mãos dos indivíduos que geraram tais valores.
  3. Todos são iguais perante a lei
    Embora haja um sistema hierárquico de autoridade no governo e nas organizações, todos são iguais perante a lei, sem exceções ou privilégios.
  4. Livre iniciativa
    Cada indivíduo tem o direito de exercer seu esforço para gerar riqueza e renda com seu trabalho e emprego. O livre mercado e a livre iniciativa são geradores de trabalho e emprego e, em situações iguais, os resultados da iniciativa privada são sempre melhores do que os do Estado.
  5. O indivíduo como agente de mudanças
    O poder da escolha pelo voto e da livre manifestação de sua vontade, assim como a participação ativa do indivíduo são os instrumentos para as mudanças necessárias. O direito de criticar deve ser associado ao dever de participar.
  6. Todo o poder emana do povo
    As escolhas do povo no momento do voto, sua ação junto aos seus representantes, a união do povo em um propósito específico, manifestam o poder do povo. Leis, projetos e programas que retiram o poder do povo são inaceitáveis.
  7. A propriedade privada é um direito sagrado
    A propriedade ou posse de qualquer bem é, a princípio, fruto de esforço e trabalho de um ou mais indivíduos, qualquer ameaça a esta ordem natural coloca em risco a lei e a ordem de uma sociedade.
  8. A caridade é individual
    A excessiva presença do governo com programas sociais e de auxílio, reduz a disposição das pessoas para fazer o bem. O governo não tem o direito natural de tirar de quem produz renda e riqueza para dar para quem não produz. Tal ajuda deve ser uma iniciativa individual ou organizada voluntariamente e nunca por força de lei. Neste assunto, o governo deve sempre ser a última linha de defesa.
  9. Visão de longo prazo
    Projetos de mudança usualmente demandam ações que ultrapassam as exigências e os prazos da próxima eleição.
  10. Respeito ao dinheiro e à coisa pública
    Privilégios e mordomias para políticos, servidores públicos e representantes de diversos setores, desequilibram as contas e sacrificam os que trabalham e pagam impostos.
  11. Atuação parlamentar ou governamental como opção de serviço e não uma carreira
    O impedimento da reeleição coloca na perspectiva correta a qualidade do trabalho do legislador e do governante, que não submete suas ações ao julgamento da próxima eleição, fazendo o que tem que ser feito e, ainda, inibe a entrada de indivíduos mal intencionados e incompetentes.

Novas necessidades e circunstâncias exigirão novos projetos e propostas que serão sempre protegidos, dirigidos e limitados pelos princípios e valores acima. Para a segurança de todos.