A insanidade coletiva e outros dois motivos porque é difícil e demorado mudar a política no Brasil

Eleições e política. Como mudar o Brasil, agora!
Como povo sofremos de certa insanidade eleitoral.

Na realidade, embora seja uma tarefa aparentemente difícil e de longo prazo, a mudanca do comportamento politico é simples e poderia ser muito mais rápida. O que faz com que este projeto de mudança seja lento e difícil?
Três coisas tornam o processo de mudança politica tão lento: 1) Nossa incapacidade de comparar o discurso dos políticos com seus comportamentos e resultados; 2) Uma espécie de loucura ou insanidade coletiva que sofremos nos tempos de eleição e 3) Nossa visão equivocada de que é o Presidente da República o grande agente das mudanças.

Vamos entender melhor cada um dos pontos.

1) Nossa incapacidade de comparar o discurso dos políticos com seus comportamentos e resultados.

Nos dias de hoje, com a Internet, as redes sociais e um sem-número de aplicativos fica muito fácil acompanhar cada passo de cada político eleito, sabemos quem é corrupto, quem é honesto, quem é produtivo, quem produz nada, quem votou a favor, quem votou contra.

Acima de tudo, temos a realidade estampada bem na nossa frente, o desemprego num nível inaceitável, nenhuma ou muito pouca segurança pública, a educação pública formando universitários semi-alfabetizados E muito mais. Nós vivemos em um país de miseráveis, doentes, desempregados e iletrados.

Então, nas campanhas eleitorais, os mesmos políticos dos últimos trinta anos, das últimas sete ou oito eleições, vêm e fazem suas promessas douradas, “vamos acabar com o desemprego”, “minha prioridade é a saude”, “educação de qualidade para todos”, “vamos acabar , de uma vez por todas, com a fome de nosso país “. Aliás, as mesmas promessas das últimas oito eleições. E a realidade ali gritando na nossa cara! Nada disso foi feito, nada! Mas, apesar dos fatos e da realidade, como povo nós acreditamos no discurso e votamos novamente, nos mesmos políticos.

O que nos leva ao próximo tópico.

2) Uma espécie de loucura ou insanidade coletiva que sofremos nos tempos de eleição.

Alguém atribuiu a Einstein a afirmação de que “insanidade é fazer a mesma coisa e esperar resultados diferentes“. É exatamente disso que estamos falando, deste tipo de “insanidade ou loucura”. Pense bem, nas últimas oito eleições votamos nos mesmos políticos e nos mesmos partidos que nos entregaram esta realidade de desemprego , miséria, crimes, insegurança, impunidade, analfabetismo universitário, doenças e serviços de saúde precários, que vivemos e, desta vez, vai ser diferente. Vamos votar nos mesmos para mudar! Hein? Como?
Olhando assim, Einstein tinha razão, é loucura mesmo.

3) Nossa visão equivocada de que é o Presidente da República o grande agente das mudanças.

Esta crença carrega dois erros, colocamos o futuro nas mãos de um “salvador da pátria ” e “escolhemos o herói errado“.
O Presidente da República, embora muito importante, é um executor, ele até propõe programas e projetos, controla gastos, mas não tem poder para redesenhar as leis que vão, efetivamente, criar uma nova política e um novo Brasil. O Congresso Nacional é o instrumento para tais mudancas, é no Congresso que são criadas leis que alterarão as condições para a geração de empregos, melhorias no sistema de saúde, mais segurança pública, melhor ambiente educacional e tudo o mais que o Brasil precisa. Para a mudança real, precisamos nos concentrar nos Deputados e Senadores.

Mas atente que eu falei que o Congresso Nacional, composto pelos Deputados e Senadores, é apenas um “instrumento” para a mudança, o único agente de mudanças real é você, o cidadão, isso mesmo cada um de nós .

Toda a solução nasce em você, nos seus pensamentos, decisões e ações. Por isso ela pode ser bem rápida e simples. Basta você e eu decidirmos agora mesmo em quem NÃO vamos votar. Isso mesmo, em quem não vamos votar. Afinal, a campanha ainda não começou e talvez não tenha dado tempo de escolher em quem votar, mas a realidade está aí fazendo uma campanha muito forte sobre em quem não votar. Deixemos de lado nossa insanidade coletiva e vamos escolher apenas candidatos que não sejam políticos já eleitos, em qualquer posição. Candidatos diferentes para resultados diferentes.

Nossa realidade nos faz crer que todo politico vira bandido, mas alguém disse que, na realidade, é nosso voto que coloca os bandidos na política. Não importa quem é esse político, por mais poderoso que seja, ele precisa de votos para ser eleito. Esta é a grande chance que temos de EM APENAS UMA ELEIÇÃO mudar a cara politica do Brasil.

…ou continuar com nossa loucura.

2 comentários

  1. Perfeita a sua definição!
    Concordo em gênero, número e grau!
    Quem sabe faz a hora, dizia Vandré, e esta talvez seja a nossa última chance de salvar o Brasil e nosso povo!!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s